Pauta de Reivindicações da Campanha Salarial é protocolada na Prefeitura

A Pauta é composta por 15 itens (ver imagem), os principais são revisão salarial de 15% para todos os servidores da Prefeitura, do SAAE e do Previfor e reajuste no vale-alimentação equiparando-o ao da Câmara Municipal, de R$430.

Natanael protocolando a Pauta da Campanha Salarial

Natanael protocolando a Pauta da Campanha Salarial

 A Pauta de Reivindicações da Campanha Salarial dos servidores municipais da Prefeitura, do Saae e do Previfor foi entregue à Prefeitura nesta sexta-feira, dia 27. O presidente do Sintramfor, Natanael Alves Gonzaga, e a vice-presidente, Evangelina Santos, foram à Prefeitura para entregar o documento.

Os representantes do Sindicato foram recebidos pela secretária de Gabinete, Osânia Silva, que protocolou o documento. O prefeito Moacir Ribeiro chegou ao Gabinete no momento em que Natanael e Evangelina estavam lá, mas tinha uma reunião com a vereadora Meirinha e apenas cumprimentou os representantes do Sindicato.

Natanael e Evangelina pediram à secretária que agende para os próximos dias uma reunião com o prefeito para obterem resposta em relação à Pauta de Reivindicações que foi entregue. A secretaria disse que ainda hoje a Pauta seria entregue ao prefeito e ao secretário municipal de Administração e Recursos Humanos, José de Oliveira Terra (Terrinha).

Data-base

O pedido de mudança da data-base de revisão salarial, de 1º de maio para 1º de janeiro, vem sendo feito pelo Sindicato há tempos. No ano passado o projeto chegou a ser votado na Câmara, mas foi derrubado por votos contrários dos vereadores Meirinha, Zezinho Gaiola, Josino e Piruca. Apesar de terem votado para que a data-base permaneça em maio, na última segunda-feira, dia 24, os vereadores aprovaram reajuste salarial de 10% e aumento do Vale Alimentação para R$430 apenas para os servidores da Câmara Municipal, além de terem aprovado reajuste nos próprios salários.

Natanael comentou a atitude dos vereadores. “Não vamos deixar de lutar para a mudança dessa data-base. Os vereadores terão que nos provar que olham pelos demais servidores, com isonomia, pois, ao rejeitarem a nossa mudança para janeiro, nos prejudicaram, mas adiantaram a votação para o reajuste dos salários na Câmara. Os servidores questionam que os edis usaram um peso e duas medidas, pois como sempre, lutam somente pelos servidores da Câmara e esquecem dos mais de 2.200 servidores da cidade”, disse.

O presidente destacou que os servidores municipais da Prefeitura, do Saae e do Previfor esperam ser tratados com igualdade e que os vereadores devem empenhar-se em aprovar para eles os mesmos benefícios que aprovam para os servidores da Câmara. “Ficamos tristes em vê-los aumentando seus salários fora da data-base, a qual foi rejeitada pelos quatro vereadores. Eles alegam, que são poderes diferentes, mas esquecem que também são regidos pela Lei Orgânica Municipal, e como representantes do povo devem respeitar o que preceitua a referida Lei. A atitude dos edis é legal, mas não foi, de certa forma, respeitosa com os outros servidores municipais (da Prefeitura, SAAE e Previfor), pois os mesmos não sabem quando e quanto terão de reajuste”, completou Natanael.

Nenhuma resposta