Sintramfor propõe que profissionais de saúde concursados sejam vacinados para preenchimento de vagas

covidAcordo deve ser feito com participação do Ministério Público e prever sanções para os profissionais que desistirem de assumir vaga após a vacinação

 

Mediante reclamações de servidores municipais da Secretaria de Saúde de Formiga que dizem estar sobrecarregados e exaustos devido à falta de mais profissionais e também de equipamentos de segurança e prevenção adequados para o enfrentamento à Covid-19, nesta segunda-feira, dia 5, o presidente do Sintramfor, Natanael Alves Gonzaga, enviou um ofício ao secretário municipal de Saúde, Leandro Pimentel, com sugestões e pedidos. Sabendo que a Administração Municipal está com dificuldade para preencher as vagas da linha de frente, Natanael sugeriu um acordo para facilitar a ocupação das vagas por profissionais já aprovados no último concurso, em vez de contratar temporariamente por meio de processos seletivos como a Prefeitura vem fazendo.

A proposta é que os concursados que tiverem interesse em preencher as vagas para as quais foram aprovados sejam vacinados contra a Covid-19, já que irão atuar na linha de frente da pandemia. O presidente do Sindicato propôs também que sejam definidas sanções caso o concursado desista de preencher a vaga após ser vacinado. “Tal acordo deve ter a participação do Ministério Público, resguardando assim de que não haja acusação de fura-fila, pois o objetivo é atender a demanda do Município”.

Natanael argumenta que as atuais condições de trabalho colocam em risco a saúde dos profissionais e dificultam o combate efetivo na linha de frente da pandemia. Soma-se a isto o fato de que a Prefeitura já abriu diversos processos seletivos e não consegue preencher as vagas, já que as pessoas estão com medo de serem infectadas pela Covid-19.

 

Equipamentos de prevenção

No mesmo ofício enviado ao secretário municipal de Saúde, Natanael solicitou a atenção dele em relação à proteção dos profissionais de saúde, que vem apresentando queixas relacionadas à qualidade e compartilhamento de equipamentos de proteção e segurança. Mediante as reclamações dos servidores, Natanael pediu que seja analisada a qualidade de produtos como máscara, gorro, avental, luvas, e protetor ocular ou facial e que os mesmos sejam disponibilizados para uso exclusivo para cada profissional.

Para ver o ofício na íntegra, click aqui. 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *