E se não existissem as Entidades de Classe?

Sindagua/RN

Sindagua/RN

Já parou para pensar o aconteceria se fossem extintas todas as Entidades de Classe, tais como os Sindicatos, Associações e Federações? Tais Entidades são responsáveis por garantir inúmeros direitos aos trabalhadores, servindo como porta-voz para muitas causas.

O tão requisitado “braço direito”

Como o subtítulo já entrega, as Entidades de Classe ou Instituições funcionam como o braço direito de muitos trabalhadores, pertençam eles a qualquer classe profissional. Afinal, para cada classe profissional há de existir pelo menos uma Entidade representativa.

Sendo o braço direito responsável por auxiliar o trabalhador em tudo o que ele necessita, um país sem Entidades de Classe estaria fadado ao caos. Isso porque os trabalhadores teriam seus direitos constantemente saqueados e invalidados. O descontentamento, por sua vez, geraria revolta e as consequências disso podemos deduzir após ler alguns livros de história.

Tome por exemplo o mundo antes da Revolução Industrial, ocorrida na Europa em meados do século XVIII. As relações sociais nessa época atingiram uma enorme polarização. A sociedade, dividida em duas grandes classes (burguesia e proletariado), gerou o cenário propício para uma das mais precárias condições de vida e trabalho já registrada.

Consequências ainda mais duras

Além de assumir a luta pelos direitos dos trabalhadores, as Instituições cumprem papel fundamental na profissionalização desses mesmos indivíduos. Elas são responsáveis por promover o aprimoramento das competências que esses profissionais possuem, através da realização de cursos, congressos, simpósios, fóruns, entre outras modalidades de evento.

Caso fossem extintas, tais profissionais perderiam as oportunidades que possuem hoje. O valor monetário associado a estes curtos capacitatórios seria, certamente, mais alto e as opções disponíveis para indivíduos de baixa renda consequentemente mais escacas.

A assessoria jurídica concedida por muitas Instituições, por vez, também para de existir e deixa a mercê milhares de trabalhadores que não possuem recurso suficiente para se defenderem sozinhos.

Análise final

Sem a presença dessas Instituições, os profissionais estariam expostos aos mais diversos atos fraudulentos. Eles poderiam ter que trabalhar por horas contínuas, diante de condições deploráveis e ainda assim não receber um salário que fosse compatível com o seu esforço.

É preciso, então, que haja esse tipo aglutinação – em sentido figurado, vale ressaltar (#FiqueEmCasa) – entre um grupo de pessoas com causas comuns para que suas vozes se ampliem e gerem resultados benéficos para toda um grupo.

Artigo Hi Gestor, com adaptações

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *